Como ser um advogado virtual?

Desde que o chip desembarcou em nossas vidas e virou objetos profissionais importantes, tão díspares que vão do computador ao telefone móvel, nunca mais vivemos a monotonia de antigamente. Além da agitação geral, as profissões viram suas estruturas funcionais mudarem tão radicalmente, que algumas nem parecem mais as mesmas. Entre estas, a do advogado, especialmente agora com a possibilidade do advogado virtual.

A internet, impulsionada por esse pequeníssimo chip, constituiu-se no passo seguinte para desestabilizar profissões – ou para impulsioná-las, conforme ocorrer sua utilização por cada profissional. Para aqueles que entenderam que a internet veio para ficar e aprenderam a dominá-la, o futuro reserva agradáveis surpresas – mas, para os que preferiram manter as velhas tecnologias, a estagnação profissional será inevitável.

Ferramentas que alavancam a profissão

Nestes caminhos de entender que o futuro já está acontecendo, está, portanto, a diferença entre os profissionais que terão brilho na carreira e os que ficarão para trás. Sem querer ser apocalíptico, não há meio termo entre essas duas comparações. A informática e a internet, exploradas em todas suas potencialidades, chegaram para fazer parte intrínseca do profissional da lei, em qualquer de suas ramificações.

Entender isso é essencial. Definidas essas premissas, é bom também saber que o advogado – seja jovem ou com muita experiência de mercado – pode fazer escolhas sobre como vai operar no mundo cibernético, tornando-o uma ferramenta que tem todas as condições para impulsionar e alavancar a sua carreira.

Um conceito novo e revolucionário

Entre estas opções, está a de transformar-se num advogado virtual, aquele que sabe utilizar as ferramentas cibernéticas a seu favor – e não são poucos os dispositivos, sejam ferramentas de software ou equipamentos físicos que o advogado pode colocar ao seu dispor para o bom exercício de sua função de homem da lei, aquele que trabalha para ajudar o cidadão a buscar os seus direitos feridos em qualquer princípio.

Embora entenda-se como advogado virtual aquele que atua com o emprego da informática para atender suas necessidades profissionais, com seu escritório conectado a todos os tribunais com que atua e, através da informática, ter o controle de todos os processos, já há hoje um conceito ainda mais novo e revolucionário.

E economias com o trabalho virtual

Trata-se do advogado que atua sem ter um escritório físico. Ou seja, seu escritório está em seu celular – de última geração -, seu tablete ou no seu notebook, que pode ser transportado de um lado para outro. Trata-se daquele conceito novo de trabalho à distância, ou trabalho em casa ou, seguindo os modernismos, o home office. Trata-se de uma das mais importantes evoluções da revolução chamada internet, que permite você estar em dois ou três lugares ao mesmo tempo.

Na verdade, o advogado virtual precisa ter um local físico para trabalhar, mas, este pode ser em sua própria casa, por exemplo. Neste caso, ele tem uma série de vantagens, como economizar tempo e paciência com o trânsito, não pagar um aluguel extra e ter diversas outras economias, como com uma secretária.

Sem enganos: trabalho continua exigente

Para atuar como um verdadeiro advogado virtual, a rigor o advogado precisará, em termos de equipamentos, apenas de um bom computador, com impressora e scanner, além de um celular e, possivelmente, um notebook ou tablete para fazer o acesso a processos e documentos à distância. E um bom e sossegado lugar em sua casa, em que possa atuar como se estivesse lá num escritório comum de trabalho.

Conheça o software número 1 em Gestão Jurídica!

Neste caso, é importante fazer um parêntesis. Para ser um bom advogado virtual e trabalhar em casa, o famoso e novíssimo home office, o profissional precisa ser muito bem regrado em suas coisas pessoais, com horários definidos para todas as suas tarefas.

Programas que facilitam a sua vida

Trabalhar em casa é muito bom, mas, também perigosíssimo. Se você fizer confusão entre o trabalho em sua residência com preguiça ou displicência, a chance de fracasso é muito grande. Se for casado, é preciso combinar muito bem com seu cônjuge e filhos: papai (ou mamãe) está trabalhando e, portanto, não pode ser importunado. O comportamento tem que ser totalmente profissional. O atendimento às coisas da casa, incluindo filhos, deve ser feito após as tarefas profissionais.

Fechado o parêntesis, o advogado virtual pode, ainda, recorrer a software que existem no mercado e que facilitam a vida de profissionais do direito. Boa parte destes foi desenvolvida a partir de algumas legaltech, que são pequenas startup especializadas com produtos para o meio jurídico.

Sem contato físico com o cliente

Existem muitos produtos de qualidade para auxiliar o profissional que opta por ser um advogado virtual. Desde o acesso e atendimento a clientes, até a gestão total do escritório virtual, incluindo aí contas a pagar e a receber. Até mesmo o acompanhamento online de processos pode ser feito através de app desenvolvidos por essas legaltech. Ou seja, é só procurar entre profissionais especializados ou através de uma boa busca no Google. Uma das empresas que presta assessoria nesta área é a www.sisea.com.br.

Entre os trabalhos que estas legaltech prestam, está a de software para o atendimento aos clientes. Alguns permitem conferências virtuais, ao vivo, em que todas as informações sobre o processo são tratadas e todos os detalhes definidos entre cliente e advogado. Não há contato físico ou pessoal. Tudo é acertado online, até a forma de pagamento pelos serviços.

O futuro é hoje mesmo

É claro que o advogado deverá providenciar, também, a divulgação de seu trabalho, o que exigirá um esforço de marketing inteligente e integrado. Isso também é oferecido através dessas empresas especializadas, por preços bastante acessíveis. Ele pode, entretanto, optar pela criação de um blog ou mesmo site, em que divulgue artigos e informações sobre seu trabalho.

A principal forma de divulgação do trabalho jurídico, hoje, conforme permissão do Estatuto da OAB, ocorre justamente através das redes sociais. Ou seja, esse próprio blog ou site pode ser amplamente divulgado através de inserções em redes sociais, chegando a possíveis clientes também por intermédio de plataformas virtuais. Com isso, o advogado virtual terá alcançado todos seus objetivos, que se iniciam na captação de clientes e terminam no atendimento total de suas necessidades. Como dissemos no início, o futuro é hoje mesmo.

Escrito por Juliana Bertolli

Analista de marketing

Separamos esses artigos para você...

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *