fbpx
Um bom gestor pode ajudar seu escritório de advocacia a crescer easyacase

Um bom gestor pode ajudar seu escritório de advocacia a crescer

Sabe aquela banca tradicional de advogado, com a velha e surrada placa de ‘especializado’ em tudo – do comercial ao criminal, do familiar ao divórcio? A cada dia, diminui sua capacidade de respiração. Mesmo que alguns insistam nesse tradicionalismo, os grandes escritórios em expansão partiram para a especialização, sob a forma de empresa jurídica e contrataram um bom gestor para a administração.

O crescimento profissional e financeiro dos novos advogados – e também dos antigos, que participaram para a reciclagem – não pode prescindir do enfrentamento ao mercado, cada vez mais competitivo, com o aumento da concorrência e da alta tecnologia.

Digitalização, um marco para o Direito

A verdade é que a digitalização dos processos jurídicos, com a consequente modernização do Judiciário, constitui-se na deixa para esta nova geração de advogados, com importante distinção entre dois grupos: os que entenderam que essa modernização veio para ficar e, portanto, partiram para o aprimoramento técnico, e aqueles outros que até aprenderam a digitalizar, mas, não passaram muito disso.

Aqueles novos profissionais levam ligeira dianteira, pois normalmente já chegam ao mercado com um computador embaixo do braço – desde pequenos, acostumaram-se com esta nova engenhoca que muda o mundo. Mas, o espaço também ficou aberto para escritórios já consolidados, aqueles que também partiram para a expansão aproveitando-se das oportunidades geradas pela informatização.

Informatização auxiliou na modernização

A verdade é que a informatização do Judiciário, ao exigir a digitalização de todos os processos jurídicos, atuou como parceira daqueles advogados com maior visão do mercado. Ao acompanhar o processo de informatização de fóruns pelo Brasil afora, a tecnologia da informação ajudou todo o processo jurídico do País e tornou-se importante para a modernização dos escritórios de advocacia.

A modernização chegou rápido principalmente naqueles escritórios que já possuíam alguma especialização – mesmo com a postura de generalista, do tipo caiu na rede é peixe.

Especialização trouxe a diversificação

Determinado escritório em que os maiores processos ocorriam na área tributária, por exemplo, passou a ter horas de sobra no dia a partir do momento em que a consulta a processos passou a ser digital – aquele passeio matinal aos fóruns para verificar o andamento processual tornou-se dispensável.

Bastou a contratação de alguns profissionais a mais, inclusive pelo sistema de sociedade, e esse escritório adentrou-se em novas áreas afins, como o assessoramento comercial, de administração e, também, no marketing – mantendo o tributário, claro. Isso provocou o crescimento do escritório e passou a exigir do advogado líder maior tempo para a gestão do negócio – ou de alguns dos seus sócios.

Uma nova era para o negócio jurídico

Essa foi a principal transformação – boa parte dos escritórios de advocacia migrou para o andar de cima, como negócios jurídicos e, a partir daí, houve a necessidade da contratação de um bom gestor para manter a fase de crescimento e expansão. A evolução está sendo tão rápida que esse gestor jurídico transformou-se em profissão e hoje cursos de especialização espalham-se pelas principais cidades do País, inclusive com doutorado ou pós graduação.

Em alguns casos, escritórios contrataram advogados com especialização em contabilidade ou administração e marketing, alguns sob a forma de sociedade. Ou seja, estamos em uma nova era do negócio jurídico, em que a ação de marketing e conquista de novos clientes é um dos principais diferenciais sobre os escritórios tradicionais.

As melhores regras de administração

Não há espaço para o amadorismo neste novo mundo jurídico. A palavra chave passou a ser especialização, tanto no saber jurídico e conhecimento técnico, em que cada advogado passa a ter maior atuação em uma área específica, como na administração do negócio. E a atuação de um bom gestor na administração da empresa tornou-se peça essencial ao crescimento do negócio.

As regras de administração são exatamente iguais a qualquer outra empresa do mercado. É preciso toda uma estrutura organizacional, com as melhores regras em áreas como contas a pagar e a receber, administração de clientes, marketing e captação de novos clientes e gestão e acompanhamento de processos jurídicos. Atenção ao cliente ganhou ênfase especial.

E sobra tempo para atender os clientes

Ocorreu – e continua ocorrendo – uma simbiose em que essa modernização, assim como absorveu as melhores tecnologias para o setor, serviu-se também delas para garantir sua expansão. O software jurídico também entrou aí como impulsor da modernização empresarial dos escritórios, abrindo-se um novo mundo para os advogados que vislumbraram essa alternativa de crescimento.

A atuação de um bom gestor na administração do escritório foi fundamental, também, para que os advogados passassem a ter mais tempo para dedicar-se ao cliente – ou à captação de novos clientes – o que deve ser, aliás, a função primordial do advogado.

Software jurídico melhora a produtividade

As melhores técnicas de como tocar estes novo negócio jurídico são de pleno conhecimento de um bom gestor – o que tem valorizado a sua atuação. E o software jurídico ajudou e muito. Vejamos algumas das vantagens que trouxe aos escritórios de advocacia:

  1. Agilidade – Um bom software vai permitir o acesso ao escritório de qualquer lugar, permitindo inclusive a realização de conferências online com a equipe de trabalho para a tomada de qualquer decisão; nenhum processo vai perder prazos por causa da viagem do advogado titular da conta;
  2. Segurança das informações – ao trabalhar com o armazenamento de documentos em nuvem, um bom software traz consigo a garantia da segurança dos dados e permite o acesso do advogado a esses dados, também de qualquer lugar;
  3. Interfaces – Devido ao uso de sofisticada tecnologia, torna-se possível e prático o acesso às informações processuais de qualquer lugar, seja na espera em um aeroporto ou na ante sala de um juiz:
  4. Custo – Com o tempo, devido aos grandes benefícios que traz na gestão de processos e na gestão da empresa, inclusive com o controle das finanças, um bom software paga-se em pouco tempo, apresentando sempre um custo/benefício altamente vantajoso;
  5. Gestão empresarial – Um bom software permite a organização da empresa, fazendo o controle de todos os departamentos; o advogado líder do escritório consegue saber, no mesmo instante, o que está fazendo cada um dos seus colaboradores, inclusive sócios, além de poder acessar todas as planilhas necessárias para saber como anda sua empresa, em termos de lucratividade e atendimento ao cliente. (www.sisea.com.br)

Fase de expansão para os escritórios

Com as ferramentas adequadas, incluindo um bom software jurídico, um bom gestor passou a dar organização ao escritório, equiparando seu funcionamento à gestão das melhores empresas do mercado.

Como elemento adicional e igualmente importante, surgiu a necessidade de treinamento das equipes para a boa utilização dessas novas ferramentas, a começar pela informática e suas muitas armas à disposição do advogado. Ou seja, um bom gestor de escritório de advocacia ajudou e muito no aumento da produtividade do escritório, com o que melhorou também o atendimento aos clientes e a busca do êxito processual. Os novos escritórios são, hoje, empresas de médio e grande porte, com forte expansão no mercado.

Share this post