Alguns dos livros que todo advogado precisa ler sisea fique por dentro

Alguns dos livros que todo advogado precisa ler – Fique por dentro!

Alguns dos livros que todo advogado precisa ler – Fique por dentro!

Se você é advogado, ou está se preparando para ser, já deve ter se deparado com inúmeros livros.

O saber jurídico é fundamental para todo advogado, todos sabemos. Esta afirmação é aquela do tipo ‘chover no molhado’ – não altera coisa alguma ao já estabelecido.

O que muda, e muito, é afirmar que o advogado precisa ter, além do saber jurídico, um imenso saber cultural, com informações adicionais do mundo que vão moldá-lo, além de bom ou excelente advogado, num cidadão dotado de conhecimentos que o tornarão admirado no meio social em que vive.

 

Obras primas literárias no palco do Direito

E isso o advogado vai conseguir – de preferência ainda como jovem acadêmico do Direito – através da leitura de bons livros, alguns dos quais já indicados por ilustres causídicos como indispensáveis ao conhecimento de todo advogado. Ou seja, existem livros que todo advogado precisa ler.

E muitos deles nem são específicos sobre leis ou o Direito. É que alguns dos maiores escritores do mundo fizeram da seara jurídica o palco adequado para o exercício de sua literatura, fazendo surgirem obras primas que têm o Direito como pano de fundo, embora romances de ficção. Mas, ficção e romances que ensinam e fazem pensar.

 

Momentos interessantes de nossa história

O interessante nestas obras, para advogados e, de forma especial, estudantes de Direito, é que elas sempre invadem visitam momentos da nossa história, mundial ou aqui mesmo do Brasil, fazendo-nos vivenciar esses acontecimentos como se deles estivéssemos participando.

São obras, algumas delas, de interessante cunho sociológico, com análises precisas de conturbados instantes da nossa história. Conhecer e participar da análise desses momentos é sempre interessante para ampliar os conhecimentos gerais do indivíduo – e do advogado de forma especial.

 

Aprofundar-se na leitura literária

Ou seja, não basta ao advogado ter amplos conhecimentos e saber jurídico sem poder mesclá-los com diferentes momentos da história da humanidade. Ampliar esses conhecimentos é fundamental para a mente do advogado e é isso que se deve buscar ao aprofundar-se na leitura literária.

Romances da área legal são sempre instigantes e inspiradores, de forma especial para quem já vive o mundo do Direito. Poder absorvê-los não apenas aumenta o conhecimento, como também ajuda a abrir a mente para o entendimento de fatos que vão estar no cotidiano da vida processual de advogados atuantes. Vamos enumerar a seguir alguns desses romances históricos.

 

O Sol é para todos, de Harper Lee

Livro de tirar o fôlego e que todo estudante de Direito ou advogado precisa ler. Venceu o Prêmio Pulitzer de 1960 e jogou sua autora à primeira fila entre os escritores mundiais. Trata-se da história de um advogado que decide defender um homem negro, nos Estados Unidos no auge do racismo, acusado de estuprar uma mulher branca. Injustiça e racismo dominam a história, a começar pela família do advogado. A postura, coragem e inteligência do advogado são a tônica da história.

 

Memórias do Cárcere, de Graciliano Ramos

Jornalista e romancista, Graciliano Ramos foi preso durante a ditadura Vargas sob a acusação de ter participado da Intentona Comunista de 1935. Ele esteve preso em Pernambuco e no Rio de Janeiro, na Ilha Grande, e o romance conta a história de privações, torturas e humilhações que viveu durante esse período de prisão. Depois, foi libertado graças às pressões de intelectuais e da própria sociedade brasileira. Livro que joga luz a um período obscuro da nossa história.

 

O Processo, de Franz Kafka

Este livro costuma ser citado pelos maiores advogados como um de seus livros de cabeceira. Seu autor é conhecido pelos textos do absurdo, em que é difícil entender o que está acontecendo. Neste caso, um cidadão, de um país aparentemente dominado por um governo autoritário, certo dia é preso sem saber o motivo e sem uma acusação formal. Simplesmente é levado pela polícia e submetido às mais sórdidas condições humanas de encarceramento. Trata-se de uma situação em que o Direito é deixado de lado, substituído pela intolerância e supremacia do Estado sobre o cidadão. Leitura obrigatória.

 

O mercador de Veneza, de William Shakespeare

Não se trata de história recente, pois o romance ocorre na Veneza do século XVI. O enfoque é a discriminação sofrida por judeus a partir da elite católica da época. O grande momento do livro é a brilhante argumentação do advogado do judeu, que tenta livrá-lo da pena de ver retirados pedaços de sua carne para pagar um empréstimo. Ocorre, argumenta o advogado, que a carne pode ser retirada, mas, sem derramar uma gota de sangue, pois esta não consta de nenhuma cláusula do contrato. Livro brilhante como o próprio autor.

 

Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski

A história ocorre na Rússia de 1866, quando um jovem comete um crime e passa a viver obcecado pela ideia de que errou. Ele simplesmente não consegue mais viver e tenta redimir-se do crime. Vive tomado pelo remorso e, ao mesmo tempo, tem medo da punição. Um clássico desse grande escritor russo e que merece ser lido e apreciado.

 

1984, de George Orwell

Trata-se do último romance deste brilhante escritor. Ele se passa numa sociedade completamente vigiada, em 1984, em que pensar é proibido. Manifestar-se muito menos ainda. Um ambiente, enfim, impróprio e anacrônico para a criatividade do indivíduo. Só é permitido acreditar naquilo que lhe é imposto, sem qualquer indagação ou questionamento. Sem dúvida, adequado para raciocinar-se a respeito de uma sociedade estúpida e injusta.

 

Assassinato no Expresso Oriente, de Agatha Christie

Um dos grandes livros dessa brilhante escritora, narra a história de um detetive que faz uma viagem em um trem onde ocorre um intrigante assassinato. O detetive, claro, é pressionado a descobrir quem é o assassino. O mais interessante nessa história são as reviravoltas que o caso dá. Livro de mistérios, como, aliás, costumam ser os livros de Agatha.

 

A Firma, de John Grisham

O interessante deste romance é que ele narra a vida de alto padrão e glamour dos grandes escritórios de advocacia dos Estados Unidos do início dos anos 90. Se vivem esses momentos de sofisticação e até ostentação, os advogados também são submetidos a violentos testes de pressão pelo seu trabalho. Leitura interessante para todo advogado.

 

O Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna

Trata-se da peça teatral que virou filme e lançou Suassuna como um dos grandes escritores brasileiros. O mais interessante é ver o nordestino Chicó, que faz de tudo para se dar bem na vida, ser julgado nos céus num processo que tem Jesus Cristo como juiz, o diabo como promotor e Virgem Maria como advogada de defesa. A argumentação é o ponto alto do romance, que também se mostra com textos divertidos e críticos da vida.

 

Acima de Qualquer Suspeita, de Scott Turow

Trata-se do primeiro livro de sucesso desse importante autor, que também escreveu O Inocente e O Primeiro Ano. Em Acima de Qualquer Suspeita, Turow conta como um promotor público faz a investigação sobre o assassinato de uma advogada. Trama e intriga são a tônica do romance, de alta qualidade.

Além desses dez livros, é claro que outros dez, no mínimo, poderiam ser indicados para uma ótima leitura para estudantes de Direito e advogados. Mas, temos certeza que, após a leitura desses primeiros dez, tanto o jovem quanto o advogado não vão parar na décima leitura. O prazer torna-se inevitável.

Share this post