Liderança e advocacia: saiba como exercer ambas as funções

por Sisea Sistemas

Ser advogado implica em comprometimentos com a sociedade, inclusive no que diz respeito às leis e à justiça. Embora, na prática, acabe não funcionando assim, é importante que o bom advogado faça sua parte. Se ele agir conforme os requisitos de sua profissão, já será um grande passo para, um dia, assumir a liderança e coordenar as atividades de outros advogados.

Se esse é o seu caso, ou seja, você se tornou o administrador de um escritório de advocacia e se sente pressionado ou confuso com sua nova função, leia o post de hoje e confira algumas dicas que vão ajudá-lo a encarar sua missão!

As diferenças entre chefe e líder

Muitas vezes, os termos usados significam muito. O nome “chefe” passa a ideia, para muitas pessoas, de alguém que gosta de mandar e oprimir, uma autoridade que deve ser respeitada e obedecida, uma espécie de ser superior. Para alguns, essa imagem causa aversão.

Falar em liderança é menos chocante. O líder não manda, sua função é de coordenar, organizar e estimular sua equipe, ensinando por meio do exemplo. Pense bem nisso: o que você pretende ser em sua nova função? Um chefe ou um líder?

O líder precisa ter conhecimento

O líder deve, em primeiro lugar, conhecer e dominar os assuntos relevantes para o trabalho de sua equipe, visando compartilhar conhecimentos, traçar estratégias, tirar dúvidas e resolver problemas.

Como a área jurídica envolve diferentes segmentos, é possível que o líder tenha que coordenar atividades de advogados que trabalham com diferentes matérias — e, por isso mesmo, saber o mínimo sobre elas para evitar conflitos e acompanhar processos.

Muitos se empolgam com a ideia de assumir um cargo de liderança, visando apenas a posição, acreditando que terão o poder de mandar e os outros irão sempre obedecê-lo. Esse tipo de conduta pode comprometer todo o trabalho da equipe, já que o líder em questão não estará bem preparado para dar apoio aos seus colaboradores. Em algumas situações isso cria e mantém um conflito entre o “chefe” e seus subordinados que compromete a produtividade.

As qualidades de um líder

Na verdade, o líder deve saber comunicar-se com os membros de sua equipe, ser compreensivo, capaz de ouvir e aprender com eles. A empatia é uma qualidade do verdadeiro líder, aquele que cativa sem precisar usar disfarces ou fingir ser o que não é. O advogado que assume a liderança em um escritório deve possuir carisma, mente aberta, paciência e conhecimento básico da natureza humana.

Os membros da equipe precisam ver no advogado que lidera uma figura positiva, capaz de estimular, de dar uma palavra amiga e de incentivo, de mostrar-se capaz de vencer obstáculos e sugerir saídas. Ensinar pelo exemplo é a melhor forma de liderar. Deve ser assim porque, em momentos de conflito ou dúvidas, os outros advogados certamente cobrarão do líder alguma posição ou buscarão sua proteção.

O que um líder não deve ser

Conforme publicado na Revista Jurídica, existem certas características que, ao contrário do que muitos pensam, um líder não deve apresentar. Abaixo, seguem posturas que um bom líder deve evitar:

  • Ditador: é o centralizador de informações, que toma decisões sem consultar ninguém, desconfiado de todos;
  • Incompetente: é o líder sem qualificações para o cargo, sem conhecimento suficiente, preferindo a companhia de quem sabe menos que ele;
  • Caxias: é o tipo de líder exageradamente metódico, que deseja tudo dentro da ordem, mas produz pouco;
  • Preguiçoso: é o líder que está sempre delegando tarefas suas para outros, agindo com irresponsabilidade;
  • Paranoico: sempre desconfiando de todos, é o líder que pensa que desejam tomar seu lugar e acaba sonegando informações e até gerando intrigas.

A liderança na advocacia segue as mesmas regras para as outras atividades. O bom líder saberá adaptar essas regras e usá-las da forma certa! Que tipo de líder deseja ser? Aquele que ganha antipatia da equipe ou o líder verdadeiro, que passa autoridade sem dominação, que motiva seus subordinados com exemplo e palavras de incentivo?

Se você gostou do post de hoje, aproveite para aprender algumas dicas de como captar clientes na advocacia!

Share this post